Bhavana, 2017.

Na medida que eu realizava meus exercícios de yoga, meu corpo foi abrindo mais espaço, alongando-se mais até o ponto que consegui sentar-me na posição de Lótus Completa (com as duas solas dos pés voltadas para cima). A partir disso começo a me interessar pela flor de lótus e a estudar algumas características. Três me chamaram atenção: 1- A flor possui uma capacidade de termogenia que possibilita aumentar sua própria temperatura acima da temperatura ambiente com fim de atrair insetos e aumentar a reprodução. A temperatura pode aumentar em até 20°c. 2- O tempo de ântese (abertura dos botões) da flor é de 3 dias. 3- A flor de lótus é da coloração entre o rosa e o branco naturalmente.

Bhavana consiste na criação da minha própria flor de lótus através da prática de meditação sobre as folhas de papel seda. Foi realizado 72 horas (3 dias) acumuladas de meditação na posição de lótus completa. Meu corpo durante a prática passa por processos de aquecimento, começo a suar, o papel mancha e rasga devido a isso. Durante toda a prática, há um embate entre a matéria corpo e a matéria papel mediado pelo exercício da meditação. Assim, o que resta é o refugo dessa experiência que passou, que passa e sempre vai passar. O nome do trabalho (Bhavana) em pali significa cultivo ou desenvolvimento da mente. A meditação.